segunda-feira, 18 de agosto de 2014



Seus cabelos
derramados sobre a fronha...
milhares de finíssimos fios de seda perfumados...

Seus olhos
translúcidos cristais
gemas gêmeas...

Lábios suculentos
róseos manjares...

Pérolas esculpidas
perfilam-se a guisa de dentes
desvelados ao sorrires...

Cútis aveludada
a natureza, não deu ao pêssego maduro, textura tão aveludada...

Beleza única
concretitude de meus sonhos e desejos...

Humberto Santos

quarta-feira, 4 de junho de 2014



Interessante a forma como os fatos desinteressantes despertam os interesses...

Humberto Santos

sexta-feira, 23 de maio de 2014



Não é que eu me considere melhor do que alguém... 
Somente tenho consciência de que não sou inferior a ninguém...

Humberto Santos

terça-feira, 20 de maio de 2014



Ao poeta, cabe tentar descrever, decifrar ao amor...
E, não ser por ele encantado, iludido...

Humberto Santos

sábado, 10 de maio de 2014



Ao amar-te, torno-me completo
Ao ser por ti amado, sou feliz!
Ouvir teu riso, faz minh'alma pulsar
Admirar teu rosto, dispara-me o coração
Tocar-te a pele, alvo cetim...
Beijar-te os lábios...
(Rósea seda, umedecida com doce orvalho, sabor de mel)
Injeta-me doses de adrenalina, em minha corrente sanguínea, em tal profusão...
Que todo meu corpo vibra em êxtase divinal

Meu desejo, santo e profano...
Minha doce menina, inocência e luxúria...
Minha mulher, plena em flor desabrochada...
Minha fada de luz áurea.


Humberto Santos

sábado, 25 de janeiro de 2014



Há pessoas, que na infância, criam "amigos imaginários"
Quando envelhecem...
Criam "inimigos imaginários"...

Humberto Santos

segunda-feira, 13 de janeiro de 2014





Anjo d'ouro...
Gotas de mel, servem-te de íris
Finos lábios, emolduram teu misterioso, cativante sorriso
Coroada com rúbios filamentos de seda.

Teu corpo, recoberto de brônzea tez
Tal qual um "cello", responde em vibrações, a cada movimento, desde os mais sutis, aos mais enérgicos...

Tua concretitude física
Teu olor
Teu calor
Teu sabor

Os desejos, que transpõem teu olhar
As ânsias, que teu sorriso tenta disfarçar...

Teu todo, compõe uma onírica sinfonia, inebriante, hipnotizante, única...
Diariamente composta, em árias isoladas...

Na espera de que um dia, seja por completa executada...
Libertando cada nota suspensa, até hoje não executada, cada variação de tom não experimentada...

Na ânsia de que, tudo o que vibra, dentro de ti, seja liberto, exalado por todos os poros...
Para que, liberada, tua essência, não fique mais restrita, mas que volte à fundir-se com todo o Universo...

Universo, impresso no brilho do teu doce olhar... 


Humberto Santos