quarta-feira, 7 de novembro de 2012




Flutuei pelo céu
A brisa lançava em minha face
Teu olor.

Naveguei por rubros mares
Vermelhos-sangue
Sangue que pulsa em minhas artérias.

Em busca da mansa enseada
Que não 
é outro sítio
Senão, teu corpo...

Humberto Santos

domingo, 4 de novembro de 2012





És minha droga
Se não te tenho
Caio em crise de abstinência
Não consigo me concentrar 
Ou em outra coisa pensar
Exceto
Em contigo estar!

Para que essa dor em meu peito cesse
Preciso, das doses de teu sorriso
Preciso, aspirar ao teu olor
Necessito, que injetes em mim, o teu olhar!

Anseio por uma overdose de ti!

Humberto Santos