quarta-feira, 18 de julho de 2012



Majestosa sereia
Adejantes madeixas pendem sobre tua reluzente face
Acentuando ao brônzeo tom da tua sedosa pele.

Altiva sirena
Anseio ser hipnotizado pelo encantador soar da tua voz!

Soberana nereida
Se a areia eu fosse, que prazer seria, sentir teu corpo, sensualmente sobre mim repousado!

Divinal ninfa
Tua essência me inflama, tal e qual o Sol, que irradia seu calor, por sobre teu corpo
Aquecendo-te, levando-te a um lânguido relaxamento, físico e mental!

Em meus devaneios, desejo ser o vento, a circundar-te, brincando em teus cabelos
Soprar suavemente os pelos da tua nuca, fazendo assim, percorrer por todo o teu corpo, um intenso, eletrizante calafrio!
Anseio, também, ser o mar
Ver-te caminhar, soberanamente em minha direção, adentrar ao meu ser, sem pedir ou vacilar
Permitindo que eu vá aos poucos, envolvendo ao teu corpo, tocando simultâneamente cada milímetro da tua pele, do teu ser, por mim jubilosamente acolhido.

Deixo em teus lábios, meu sal, ao qual, com a ponta da língua, recolhes!
Sei que de noite, muito depois de haveres me deixado
Meu calor, ainda está em teu corpo
Meus murm
úrios, ainda ecoam em teus ouvidos
Meu gosto, ainda habita tua boca!

E assim
Mesmo distante
Estou contigo
Estou em ti!

Humberto Santos