sábado, 26 de maio de 2012






Thanatos venceu Eros em minh'alma!
Agora definha meu corpo
Até o corpo sumir

Até o meu corpo sumir.


Em breve nada mais do que pó serei...
E restarei em uma vaga lembrança
Que depois será levada ao primeiro lufar
Da mais tênue brisa.

Humberto Santos




Nem sempre, ao insistirmos em algum questionamento, desconhecemos a resposta...

Algumas vezes, é a forma que encontramos para permitir que outros parem de afirmar mentiras.

Humberto Santos



Solidão, somente significa liberdade
Quando serve para que tenhamos um tempo para a reflexão, sem as interferências externas.

Quando porém, somos à ela forçados, por nossas ações ou inações
Quando por temermos que, ao compartilharmos nossa vida, percamos nossa individualidade.
Quando a essência é tão fragilmente estruturada, que rui, ou se acaba ao ser exposta, e a solidão torna-se um refúgio, uma zona de conforto...
Então a solidão, nada mais é do que um veneno, que nos vai matando à alma lentamente.
Nada mais é do que uma grade, uma jaula, que impede que a felicidade, a plenitude, nos alcance.

Humberto Santos

sexta-feira, 25 de maio de 2012





Vivemos em tempos
Em que amar e esperar ser retribuído, é o estranho
Aos que afeto dedicam
Desprezo e indiferença, são as recompensas!

Nesses tempos, adorar ao ser amado
É um erro imperdoável!

Quando por amar, nos chamam de loucos
Quando o nome do ente amado em um poema, é considerado ofensivo
Só nos resta desacreditar do amor!

Ao atingir o àpice da degradação
Só resta ao indivíduo
Libertar sua alma!

Humberto Santos

quinta-feira, 24 de maio de 2012






Alguns atos
Por conterem em si
Valor de fato
Cabem melhor no recato
Sem espalhafato.

Humberto Santos

quarta-feira, 23 de maio de 2012




Saudade...
Do teu cheiro
Do teu sabor, na minha língua
Dos teus braços, em volta de meu pescoço
Dos teus lábios, nos meus
Do meu corpo no teu...


Saudade...
Do que nossas almas já viveram
Do que nossos corpos vão viver...

Humberto Santos

terça-feira, 22 de maio de 2012






Liberdade, não significa poder fazer qualquer coisa, a despeito dos sentimentos de quem nos cerca.
Liberdade, é poder privar-se de magoar quem se ama!

Humberto Santos

segunda-feira, 21 de maio de 2012





Poemeu nãonelsonrodriguiano, ou: não pedir-te-ei perdão por me traíres.

Bradas aos quatros cantos
Teu ódio por mim!
Eu creio na veracidade, na intensidade
Desse atroz sentimento!

De que outra forma, haverias de
Tirar-me de ti?
Senão, matando-me aos poucos...
Lentamente, expulsando-me de tu'alma...
Lavando com saliva, meu gosto de tua boca...
Com lágrimas, apagando-me das tuas retinas...
Por mais que te banhes, meu cheiro ainda impregna tua pele...

Sim! Creio em teu ódio!
Por, desnudar-te a'lma...
Por haver-te feito descobrir a paixão...

Sim! Creio no teu ódio!
Por ainda em teu corpo, sentires minha mão, desbravando tua geografia...
Por teus lábios, ainda desejarem aos meus...
Por ainda em tu'alma, minha presença vibrar...

Sim! Eu creio na veracidade do teu ódio!
Por haver adentrado à muralha de ilusões, que guardam tua solidão...

Sim! Eu sei que me odeias!
Pois, onde meu corpo esteve, hoje, ao acordares
Vês a mentira, a leviandade, que engendraste e que me expulsaram da tua vida!
Sim! Eu vejo, eu sinto, eu acredito no teu ódio...
Pois, odiar-me,
é a única forma de ter-me presente em ti!

Humberto Santos

domingo, 20 de maio de 2012





"Ainda que eu falasse a língua dos homens
E falasse a língua dos anjos, sem amor eu nada seria..."


De ti, só espero que sejas tu mesma
À ti, só posso oferecer à mim próprio
Ante tua presença, sinto-me qual um caçador
Que, sem saber como, transformou-se em caça
Paralisado, incapaz de em outra coisa pensar
Senão o momento em que sofrerá o golpe fatal!
Por mais que use a língua dos homens
Buscando traduzir o que me aflora à alma
Sempre faltar-me-ão palavras!
Como descrever em palavras, esse intenso sentimento?
Como expressar, isso que me consome...
Amor?
Paixão?

Palavras, poderão indicar os sentimentos
Porém, sempre serão insuficientes para alcançar sua intensidade!
Quem me dera falar a língua dos anjos
E, assim, falar diretamente ao teu coração
E, dele remover todo o temor, toda a angústia
Que te fazem sofrer!

Humberto Santos