domingo, 15 de abril de 2012


Esvaíram-se os sonhos
As alegrias, as esperanças!

Foi-me impossível retê-los
Lentamente escoaram por entre meus dedos
Enquanto eu...
Aguardava pelo amanhã!

De amanhã em amanhã
A vida consumiu-se
E minha alma secou!

Humberto Santos