quarta-feira, 14 de março de 2012



Dia após dia
Ano após anos
Ela com esmero
Se autoflagela
Buscando sufocar a si própria
Sabotando sua força
Deixando prevalecer
Essa triste figura...

Imagina ela
Que, somente sendo objeto de piedade
É que será querida
Ledo engano...

Essa que prevalece
É usada
Manipulada, e
Descartada!

Reclama ela
Não ser amada
Mas é ela própria que recusa ao amor!

Lamenta ela da solidão
Entretanto, de seu lado, expulsou aquele que
Com ela se propôs a compartilhar a vida!

Pediu ela, por sinceridade
Enquanto mergulhava em mentiras!

Pediu ela, confiança
Enquanto executava as mais sórdidas traições!

Agora, se diz vítima...
Sim! Ela é uma vítima...
De seus atos... de suas escolhas!!

Humberto Santos

segunda-feira, 12 de março de 2012



Me disse ela
Que também tem saudades:
Do beijo, nunca dado
Do toque, nunca efetuado
Do sorriso, nunca trocado
Da música, nunca compartilhada
Do silêncio, respeitado
Do olhar, inesperado
Do encontro, não marcado
De mim, ao seu lado!

Humberto Santos