sábado, 2 de junho de 2012




Tais e quais lágrimas amarelas
Lança ao chão, suas flores, o Ipê...


Indiferente, pisa-as
Como se fossem
Corações amarelecidos pelo desprezo...

Humberto Santos