domingo, 13 de maio de 2012




Leve roçar da asa de uma fada, em meu rosto, transportou-me ao Éden
Em seu semblante, um tímido sorriso, enigmático, expressivo...
Onírica voz, em meus ouvidos sussurrou a mais encantadora melodia
Na sua angelical face, a máxima expressão da candura
Olhos radiantes, hipnotizantes, anti-Medusa, desperta o que de mais puro há em quem ousa fitá-los
Rubros lábios, esculpidos por Eros
Ardorosa pira, que consumindo-me, purifica-me.


Humberto Santos