sábado, 3 de março de 2012






Não me aflige o noturno frio
O que me angustia é a falta do calor do teu corpo!

Não me entristece, sozinho adormecer
Me transtorna é acordar na avançada madrugada
E não estares ao meu lado!

Penoso, não é estar distante de ti
(Mesmo porque, te trago em minha alma, desde que pela primeira vez, meus braços te acolheram.)

Assoma-me a insegurança, quando imagino que em meus braços, não mais te aninharás
Que meus lábios, não mais sorverão aos teus
Que minhas mãos, não mais por teu corpo vagarão
Que meus dedos, não mais brincarão em teus cabelos, enquanto tua cabeça, em meu peito, serena repousa!

Humberto Santos