quinta-feira, 3 de março de 2011




Desculpe-me, por meu lirismo poético, haver ressonado por teu mundo-ovo adentro
Por haver em tua alma tocado
Haver-te feito sentir-se amada!

Desculpe-me, por meu amor haver feito teu ser de casa
Por haver em teu corpo se aninhado
Haver-te feito sentir-se amada!

Desculpe-me, por meu desejo, haver no teu encontrado sincronicidade
Por haver no teu querer encontrado cumplicidade
Haver-te feito sentir-se amada!

Desculpe-me, se através do que te dei, haver-te mostrado que és mais do que és
Por haver na tua vida entrado
Haver-te feito sentir-se amada!


Humberto Santos